4 de jul de 2010

Um dia a maioria de nós irá se separar. Sentiremos saudades de todas as conversas jogadas fora, as descobertas que fizemos, dos sonhos que tivemos, dos tantos risos e momentos que compartilhamos...

Saudades até dos momentos de lágrima, da angústia, das vésperas de finais de semana, de finais de ano, enfim do companheirismo vivido.Sempre pensei que as amizades continuassem para sempre.
Hoje não tenho mais tanta certeza disso. Em breve cada um vai pra seu lado, seja pelo destino, ou por algum desentendimento, segue a sua vida, talvez continuemos a nos encontrar, quem sabe nos e-mails trocados...
Podemos nos telefonar conversar algumas bobagens. Aí os dias vão passar... meses... anos... até este contato tornar-se cada vez mais raro. Vamos nos perder no tempo...
Um dia nossos filhos verão aquelas fotografias e perguntarão: Quem são aquelas pessoas? Diremos que eram nossos amigos. E isso vai doer tanto! Foram meus amigos, foi com eles que vivi os melhores anos de minha vida!
A saudade vai apertar bem dentro do peito. Vai dar uma vontade de ligar, ouvir aquelas vozes novamente. Quando o nosso grupo estiver incompleto nos reuniremos para um último adeus de um amigo. E entre lágrima nos abraçaremos.
Faremos promessas de nos encontrar mais vezes daquele dia em diante. Por fim, cada um vai para o seu lado para continuar a viver a sua vidinha isolada do passado. E nos perderemos no tempo.
Por isso, fica aqui um pedido deste humilde amigo: não deixes que a vida passe em branco, e que pequenas adversidades sejam a causa de grandes tempestades.
Eu poderia suportar, embora não sem dor, que tivessem morrido todos os meus amores.Mas enlouqueceria se morressem todos os meus amigos!!!


Vinícius de Moraes

9 comentários:

  1. Que lindo texto, Felipe, deu uma saudade de momentos, pessoas, coisas, sei lá...saudade é um bicho estranho!
    Um bom domingo!
    PS: Qto a foto (sua foto do post ), fui em Belém faz muito tempo, uns 15 anos,e, vc conhece São Luís? Tem orkut?

    ResponderExcluir
  2. Esse poema é lindo! Vinícius... esse sabia das coisas!
    Bjão e um começo de semana super iluminado :)

    ResponderExcluir
  3. Felipe, te adicionei no msn, mas n/o encontrei no orkut, meu email do orkut é: franck015@yahoo.com.br, ou então procure apenas por franck santos, ok?
    Conheço Carolina e acho uma cidade linda com todas suas cachoeiras, e, pq deixas Belém? E, qdo quiseres vim à São Luís, já está convidado!
    Abçs e boa viagem!

    ResponderExcluir
  4. "...não deixes que a vida passe em branco, e que pequenas adversidades sejam a causa de grandes tempestades."

    Parece fácil, mas é difícil.

    ResponderExcluir
  5. Havia tempo que lia esse poema, e inevitavelmente me emocionei. Obrigada.
    Beijos.

    ResponderExcluir
  6. Saudade. Saudade. Saudade. Coisa insuportável.

    ResponderExcluir
  7. Excelente escolha de texto.
    Beijo e boa semana!

    ResponderExcluir
  8. Nossa... que lindo, Filipe!

    É difícil mesmo. Meus amigos se dispersaram com o tempo. Perdi os contatos. Lembro-me de cada um, e nem sei se estão vivos.
    Agora tenho amigos através dos blogs, e para mim, cada visita me faz sentir abraçada.

    Um abraço apertado, querido amigo.

    ResponderExcluir
  9. Eu não me lembro se foi João XXII quem disse que neste mundo todos somos peregrinos. NEsta condição, é preciso, por mais que custe, aceitar a separação inevitável q um dia virá.

    Abraços enquanto puder abraça-lo.

    ResponderExcluir